69.2 F
Charleston
viernes, octubre 23, 2020
Inicio notícias locais Do Brasil para os EUA x do EUA pro Brasil: a saga...

Do Brasil para os EUA x do EUA pro Brasil: a saga se repetiu

Equipe de redação El Informador-

A indústria da construção trouxe uma onda de imigrantes brasileiros para nossa região e, cinco anos atrás, eles começaram a voltar.

A comunidade brasileira de Goose Creek, onde a maioria se concentra nas mediações da Red Bank Road, nos complexos de apartamentos próximos à Base Militar de Charleston, tem sofrido drásticas flutuações populacionais desde o ano 2000 até hoje.

Os indicadores econômicos dos Estados Unidos e do Brasil marcaram os dois períodos de crescimento, de 2000-2005 e novamente de 2015 até hoje. Quando a economia dos Estados Unidos estava crescendo e a economia do Brasil estava sofrendo, a imigração aumentou, mas quando os papéis foram revertidos, os brasileiros voltaram para casa.

Nos últimos cinco anos, os fatores econômicos foram mais favoráveis à mudança para os Estados Unidos que do Brasil, mas como essa comunidade veio parar aqui em Charleston?

Cronograma da Imigração / Migração Brasileira para Charleston:

1996: Os pesquisadores indicaram que as Olimpíadas de 1996 em Atlanta criaram uma demanda por trabalhadores da construção civil que levou muitos trabalhadores sem documentos a imigrar pro sul. Onde quer que os trabalhos de construção aparecem, esses trabalhadores seguiam, e o mercado imobiliário em expansão nos subúrbios de Charleston, nos Condados de Berkeley e Dorchester ofereciam muitas oportunidades.

2000: O governo mexicano, em um esforço para promover o turismo, começou a permitir que brasileiros entrassem no México sem vistos. Os turistas vieram, mas o mesmo aconteceu com muitos trabalhadores migrantes, que chegaram legalmente ao México e depois atravessaram a fronteira do Texas para procurar emprego e uma vida melhor nos Estados Unidos.

2000-2005: A comunidade brasileira em Goose Creek começou a se expandir rapidamente. Os primeiros a chegar foram homens que, na maioria das vezes, trabalhavam na construção ou no comércio, como pintura ou carpintaria. As mulheres seguiram, a maioria das quais trabalhavam na área de limpeza. Também houve migração legal, pois os proprietários de empresas se estabeleceram para atender à crescente população brasileira.

2005: o México começa a exigir que todos os brasileiros que entrassem no país teriam que ter vistos, e agora os imigrantes não mexicanos detidos perto da fronteira com os EUA são colocados em celas até que possam ser deportados. O efeito cumulativo foi tornar a rota Brasil-México-Estados Unidos muito mais difícil. 31.000 brasileiros foram detidos ao longo da fronteira EUAMéxico em 2005, mas a quantia diminuiu para um fio até 2008.

2003-2007: o dólar diminuiu em 50% em relação à moeda brasileira, o Real, o que significava que o dinheiro que muitos trabalhadores mandavam para casa para suas famílias valia menos a cada mês que passava.

2008: A população brasileira estimada em torno de 5.000 começa a diminuir à medida que os brasileiros começam a deixar a área de Charleston e região em massa, impulsionada pela desaceleração da indústria da construção, pela diminuição do valor do dólar e pelo medo de uma repressão estatal à imigração ilegal.

2011: O governador da Carolina do Sul assina a lei SB-20, permitindo que a polícia solicite documentos de imigração, independentemente de outra documentação legal fornecida e impedindo que imigrantes indocumentados entrem no estado.

2012: a economia do Brasil é temporariamente a sexta maior economia do mundo, e o presidente Obama emite uma ordem executiva para aumentar em 40% a capacidade de processamento de vistos de não imigrantes na China e no Brasil.

2013-2014: o crescimento econômico do Brasil desacelerou em 2013 e o país entrou em recessão em 2014.

2014: o Juíz Federal considera o SB-20 discriminatório e determina que, se uma carteira de motorista válida for apresentada, não há motivo para fazer perguntas de imigração.

2015-Hoje: Houve um aumento drástico da população brasileira em todas as áreas do norte de Charleston, incluindo Goose Creek, onde a maior concentração de brasileiros reside e possui negócios. Isso se deve em grande parte à recessão brasileira e ao crescimento econômico dos EUA, redução gradual do patrulhamento de imigração por meio da polícia local e aumento do crescimento / construção, proporcionando emprego nos municípios de Charleston, Dorchester e Berkeley. A população brasileira estimada atual é de 10.000 a 15.000 na área do Condado de Charleston.

- Advertisment -

VEA TAMBIÉN

Hora del espectáculo para el viernes en Holy City Drive-In

Holy City Drive-In Theatre continúa mostrando películas durante la pandemia para permitir un entretenimiento divertido en Lowcountry. Tendrán boletos...

“En la vida no hay tragedia, uno le pone la tragedia”: Eyda Arroyabe, sobreviviente de cáncer de mama

A propósito del mes de la prevención del cáncer de mama. En El Informador queremos compartir la historia de Eyda Arroyabe, Colombiana...

Latin Billboards: Daddy Yankee y Bad Bunny los más premiados

Los puertorriqueños Daddy Yankee y Bad Bunny fueron más premiados de la edición 2020 de los Latin Billboards, la noche de este...

2 años pasarán para nivelar a estudiantes con pérdida de aprendizaje en Charleston

Es posible que algunos estudiantes del condado de Charleston no se pongan al día donde deberían estar en matemáticas y lectura sino...